Written on Março 31st, 2012 at 7:57 am by

0 Comments

Nadar não é mais difícil que andar de bicicleta. É uma questão de hábito.

Mas é preciso aprender, claro! Se quiserem, e os pais concordarem, inscrevam-sena escola de natação do Clube dos Tritões com a Anita.

Bom dia! – diz o monitor. – Como te chamas?

Chamo-me Anita e queria aprender a nadar.

– Que idade tens?

-Tenho sete anos.

– Óptimo … Vamos já começar com os exercícios. Arranja uma cabina e volta depressa.

A Anita despe-se na cabina. Prepara a toalha, arruma as roupas e procura a touca de banho. Estão todos à espera dela. Nunca mais vêm?…

Pronto, já cá está!

Dão-se a conhecer uns aos outros. (Vais ver que só há bons amigos no Clube dos Tritões, Anita!) – Eu sou a Susana. Aquela é a Ana Maria e este é o meu primo Miguel.

-A tua touca cor-de-rosa é bonita, Anita! – Queres ajudar-me a apertá-la?

– Vamos lá! Despachem-se – diz o monitor.

Primeiro é o chuveiro. – Ai que frio!

– Eu gosto assim. Tu não?- pergunta o Miguel.

Bravo, Miguel, és um autêntico Tritão !

Não és como o cãozinho da Anita que tem sempre medo de se constipar!

– Então que tens, Pantufa? Estás doente?

– Não vês que me molhei por tua causa?

– Mas eu acho o chuveiro muito divertido!

Antes de aprender a nadar, é preciso habituar-se à água.

PRIMEIRA LIÇÃO: brincar na água.

Nada mais simples! Qualquer criança pode fazer o mesmo. Mas primeiro tem de saber abrir os olhos debaixo de água. Quem descobrirá o colar de conchinhas que está no fundo da piscina? A Ana Maria? A Susana? O Miguel? Nada disso! Foi a Anita que encontrou o colar.

-Não sabes flutuar, Anita? Vou-te ensinar-diz a Susana. – Vira-te de costas, com as pernas estendidas e os braços ao longo do corpo … Não te contraias! É assim que se faz a prancha.

-Lança-te de bruços na água, assim, o mais longe possível para a frente. Braços e pernas estendidos – recomenda o monitor.

É maravilhoso! – pensa a Anita, que acaba de se lançar à água. Não vou ao fundo e deslizo como um peixe.

DA TERCEIRA à SÉTIMA LIÇÃO:

aprender os movimentos; treinar a respiração.

Movimento das pernas:

– Faz-se o movimento das pernas mantendo os braços estendidos e a cabeça fora de água – explica o monitor. – Um: pernas encolhidas, com os pés junto do corpo, na posição de partida … Dois: estenderas pernas, afastando-as … Três: unir as pernas uma à outra. Sem esparrinhar água, por favor!

Ai, ai, a Anita enerva-se!

– Mais devagar, Anita, mais devagar!

Movimento dos braços:

Estende os braços com as mãos unidas … afasta os braços em cruz… encolhe os braços, com as mãos debaixo do queixo … Outra vez. Muito bem! Respira à vontade, Anita. Assim não, assim não! Tens de respirar a compasso, senão ficas sem fôlego.

Anita treina com cuidado. Bem gostaria de nadar como o monitor. Mas se praticar com vontade, lá chegará.

Maisumas quatro lições e já a Anita poderá dar braçadas na piscina maior. Que bom, não acham?

Basta-lhe pensar nisso para se sentir animada.

Então, tal como o monitor prometera, a Anita começa a nadar sozinha na oitava lição. Não se esquece das recomendações: coordenar os movimentos dos braços e das pernas; inspirar ao afastar os braços; expirar quando leva as mãos debaixo do queixo.

Quando se tem muita vontade de aprender a nadar, é um instante. Façam como a Anita. Não digam: “Nunca aprenderei!” É claro que ainda não está perfeita. Sente-se um pouco acanhada na grande piscina, mas isso passa.

NONA LIÇÃO: mergulhar, saltar…

Há várias maneiras de mergulhar: sentado, acocorado, de pé … Agora que a Anita nada razoavelmente, o monitor explicou-lhe como se deve atirar da borda da piscina: os braços colados às orelhas e estendidos no prolongamento do corpo, o tronco inclinado para a frente. – Vamos, Anita, atira-te! Um, dois e … e … “Se ao menos o Miguel se afastasse …”

-Decide-se ou não? – interroga-se o Pantufa.

Cuidado com os salpicos da água! … (Vocês riem-se, mas quem tem a coragem da Anita?) O primeiro mergulho nunca é agradável. Não se deve cair de barriga na água, mas mergulhar sem ruído e com agilidade.

Quando se consegue, é um prazer recomeçar!

O Pantufa gostaria de seguir a dona. Não lhe falta vontade de mergulhar, mas os cães estão proibidos de nadar na piscina.

Quem sabe nadar sente-se leve como uma rolha na água. Até se pode brincar às escondidas com os amigos. Mergulhas aqui … (“onde se meteu a Anita?”) … e sais acolá. Podes pedalar dentro de água, sem sair do sítio, como se andasses de bicicleta. E de repente mergulhas de cabeça… como um pato. Ninguém se aborrece no Clube dos Tritões!

O mais divertido é deixar-se cair de costas na água. Repara no desenho..

É um excelente exercício. A Anita desembaraça-se muito bem quando cai à água.

Hoje é dia de festa no Clube de Natação. Organizou-se uma partida de water-polo entre os Tritões e os Golfinhos. Os pais e os amigos da Anita vieram encorajá-la.

O jogo está renhido.

– Eu aposto nos Tritões.

– Os Golfinhos são mais fortes!

Quem vencerá: os Golfinhos?, os Tritões?

Ora bem. Talvez não acreditem, mas nenhum ganhou. Empataram porque são todos campeões.

A Anita recebeu o diploma de nadadora antes das férias.

Que grande sorte!

Depois, bem podem calcular que ela nunca perde uma oportunidade

de treinar.

Aliás, o irmão, o pai, a mãe … todos lá em casa sabem nadar. Todos

sim, até o Pantufa!

É isso o mais engraçado. Este Verão vai ser divertidíssimo! O Pantufa

nada quase tão bem como uma enguia!

Mas o que o Pantufa nunca conseguirá é saltar da prancha.

É preferível reservar este exercício para quem não sofra de vertigens. A Anita só salta da primeira prancha. O que já não é nada mau, pois é preciso uma certa experiência.

Todos sabem que um Tritão deve ser sempre prudente. Conhece o “código do bom nadador”:

– Não ir para a água depois de comer ou se estiver transpirado.

– No mar, não se afastar muito … sobretudo quando a maré desce.

– Nunca tomar banho fora dos locais autorizados.

Seguir sempre os conselhos e as recomendações do monitor. A propósito, conhecem o banheiro que vigia a praia? Tornou-se o melhor amigo da Anita, e do Pantufa.

Julga-se que os acidentes só acontecem aos outros, aos imprudentes. Mas às vezes aventuramo-nos um pouco longe …

Passa um barco a motor: “Bom dia! Bom dia, amigos!” … Uma, duas, três ondas e catrapus! … eis a Anita e o Pantufa na água … Felizmente nadam bem.

E vocês, sabem nadar?

Não? Então façam como a Anita: aprendam! É

fácil!

Assim não, em cima do banco não! Na água, como toda a gente! Sobretudo, não hesitem! Nadar é o melhor exercício para se manter em

boa forma.

A água é boa, não é, Anita?

– É maravilhosa! É óptima para brincar, como

aprendi nos Tritões!

FIM DO LIVRO

Receba grátis a Newsletter do Histórias Infantis!

Muitas e muitos histórias infantis para contar.

, , , , ,

Seja o primeiro a Comentar

Deixe um Comentário