Written on Março 10th, 2012 at 7:28 am by Historias Infantis

0 Comments

O URSINHO PUFF

No mundo do faz-de-conta vivia um menino chamado Cristóvão. Ele era amigo de Puff, um ursinho de brinquedo. A vida dos dois era muito divertida.

O ursinho Puff morava na floresta.Sua casa tinha seu nome escrito em cima da porta e um sininho pendurado do lado, fingindo de campainha.

Puff era um ursinho gorducho e barrigudo. Todas as manhãs ele fazia ginástica para emagrecer:

“Um, dois, para cima, para baixo…”

Mas Puff cansava logo e ia comer mel, de que gostava muito.

Um dia em que n havia mel em casa, Puff foi buscar mais na casa das abelhas, e reclamou:

“Não sei por que as abelhas fazem a casa tão no alto.. .“

Puff se gabava de ser um urso ágil, que fazia ginástica todos os dias. Por isso foi subindo pela árvore.

Mas era mesmo gorducho e pesado. Quando se firmou num galho mais fraco, veio tudo abaixo.

Cristóvão estava consertando um burrinho de brinquedo. Ouviu o barulho do tombo e foi ver o que tinha acontecido. Encontrou Puff chorando:

“Você podia ter uma idéia para eu ir apanhar o mel sem cair da arvore”.

Cristóvão teve a idéia de dar um balão a Puff. Agarrado à cordinha, Puff poderia subir junto com o balão até a casa das abelhas.

O ursinho gostou da idéia. Para se disfarçar, sujou-se todo de lama.

“Que é isso, Puff?”, perguntou Cristóvão.

“Assim as abelhas vão pensar que eu sou uma nuvem escura anunciando chuva”, respondeu o ursinho.

Desta vez Puff subiu sem dificuldade até a casa das abelhas. Meteu a mão no oco da árvore, para tirar o mel. Mas as donas da casa não gostaram da visita e o atacaram. Puff gritou por socorro.

Cristóvão ia buscar o estilingue para furar o balão, mas antes disso a abelha rainha furou-o com uma ferroa da. Puff caiu e Cristóvão o apanhou quase no chão.

Puff estava decidido a comer mel. Por isso foi à casa do coelho e falou.

“Ouvi dizer que você tem mel em casa. Poderia me oferecer um pouco?”

O coelho era muito educado e respondeu.

“Não faça cerimônia, pode servir-se à vontade”.

Puff comeu todo o mel que havia na casa do coelho!

Quando o mel acabou, Puff agradeceu e ia sair da casa do coelho, mas… não conseguiu. Ele tinha engorda do mais ainda, de tanto mel que comera. Por isso, não passou na porta. Ficou preso, metade para fora e metade para dentro. Então, pôs-se a gritar pedindo ajuda:

“Socorro, amigos! Cristóvão, venha me tirar daqui!”

Logo apareceram a coruja e o castor. O coelho saiu pela porta do fundo e foi buscar Cristóvão. Veio também o canguru e seu filhote. Depois chegou o burrinho de brinquedo. Puseram-se todos a discutir, para ver quem teria uma boa idéia para desencalhar Puff.

A coruja foi a primeira que falou:

“Amigo Puff, não resta a menor dúvida de que você não pode sair daí. É uma porta muito estreita para um urso muito gordo. Este é um problema sem solução”.

“Cristóvão, tenha uma idéia!”, pediu Puff chorando. Parece que o único jeito e você emagrecer, disse Cristóvão. “Deixe de comer.”

Isso é fácil, não estou com fome”, respondeu Puff.

Era verdade. Puff não estava com fome, porque tinha comido muito mel. Mas na hora do lanche as coisas mudaram. Os amigos resolveram lanchar a sua volta.

Coitado do Puff! Tinha que ficar só olhando os outros comerem, sem provar nem um bocadinho de nada.

“Esse sanduíche está bom, Cristóvão?”, perguntou Puff.

“Está uma delícia.”

“Sanduíche engorda?”, tornou a perguntar Puff.

“Fique quieto, Puff, você não pode comer nada”, ralhou Dona Coruja.

Puff não se conformava.

De noite as coisas ainda ficaram piores. Cada um foi para sua casa e Puff ficou sozinho. Dona Canguru teve pena dele. Trouxe-lhe um lenço para cobrir a cabeça e dormir mais aquecido. Puff estava com medo de ficar ali sozinho. Por isso Dona Canguru ficou junto com ele.

Todos os dias a bicharada vinha fazer companhia a Puff. Todas as noites Dona Canguru tomava conta dele. Puff não podia sair dali.

Os dias foram passando. Certa manhã Puff anunciou:

“Acho que emagreci. Já consigo me mexer aqui na porta da casa do coelho” . , -

“Veja se consegue sair” , sugeriu Cristóvão.

“Só posso me mover um pouco”, respondeu Puff.

Cristóvão teve uma idéia para tirar Puff dali:

“Coelho, você da a volta pela porta do fundo e empurra Puff de lá. Enquanto isso nós o puxamos daqui”.

Cristóvão pegou Puff pelas mãos, e Dona Canguru, o burrinho e até o castor ajudaram a puxá-lo para fora.

De repente, Puff desencalhou. Foi um tombo geral! Cristóvão caiu em cima do canguru. O canguru caiu em cima do burro. Ninguém caiu em cima da coruja porque ela saiu voando. Com o impulso, Puff foi bem no oco da árvore onde as abelhas guardavam o mel.

“Cuidado com as abelhas, Puff!”, gritou Cristóvão lá de baixo.

“Desta vez elas não estão em casa”, respondeu Puff. E quando chegarem, não vão encontrar nem uma gotinha de mel !“

Não coma demais, Puff!”, recomendou Cristóvão. “Senão você depois não consegue sair do oco da árvore.

“A casa das abelhas não tem porta nos fundos, como a minha , lembrou o coelho. Ninguém vai poder entrar aí para empurrar você.”

Mas Puff não queria saber de nada. Estava com tanta fome que nem deu confiança para os amigos, e continuou comendo o mel.

Receba grátis a Newsletter do Histórias Infantis!

Muitas e muitos histórias infantis para contar.

, , , , ,

Seja o primeiro a Comentar

Deixe um Comentário