Browsing All posts tagged under »dona«Follow This Tag

Julho 21, 2011

0 Comments

a escola de dona Ostra fica lá no fundo do mar. Nesta escola, as aulas são muito diferentes. O dr. Camarão, por exemplo, dá aulas aos peixinhos menores: — Um peixe inteligente presta atenção àquilo que come. Não come minhoca com anzol dentro. Nunca! O peixe-elétrico ensina a fazer foguetes: — Quando o nosso foguete […]

Julho 10, 2011

0 Comments

Havia na floresta  uma  macaquinha  que  vivia  triste.  Ela  estava apaixonada pelo gorila  Dunga,  que  era  considerado  o  mais  forte  e simpático da floresta. A macaquinha apaixonada era bem feia e tão gorda que, por  mais  que fizesse, não conseguia despertar nem um pouco de interesse no Dunga. Um dia ela estava pensando: – De  […]

Junho 9, 2011

0 Comments

Um dia, Boquinha Redonda levou um tremendo susto: foi apanhado por uma rede, sua grande inimiga. Por sorte, ele não foi parar na frigideira, mas nun aquário, onde recebia os cuidados de sua dona. Seu único temor era o gato da casa, um guloso felino. O peixinho não estava enganado: o gato era um perigo. […]

Maio 22, 2011

1 Comment

Nada era bom demais para a Dona Esplêndida. Ela morava numa casa imensa, cercada de enormes jardins. Ela dormia numa cama enorme, com lençóis e fronhas de seda. Ela tomava banho numa banheira de ouro. E comia em louça de prata. Ah, ela era esplêndida! Pelo menos era isso que ela pensava. Dona Esplêndida se […]

Maio 21, 2011

4 Comments

Na segunda-feira, Dona Mandona foi passear. Ela encontrou o Seu Metido. — Aonde você vai? — ele perguntou. — Não é da sua conta — ela respondeu. Na terça-feira, ela encontrou o Seu Barulhento. Ele estava cantando. Bem alto, é claro. — Cale a boca! — ela disse. Na quarta-feira, ela encontrou Seu Feliz. Ele […]

Maio 10, 2011

1 Comment

Era uma vez velhota novidadeira, boateira, tagarela, dona Chiquinha que dizia que era um túmulo. O marido, seu Honório, era um homem sério, caladão, compenetrado. Os dois viviam brigando por causa dos mexericos de dona Chiquinha. — Ó Chiquinha — seu Honório dizia –, deixe de ser enxerida, linguaruda, fuxiqueira! Você vive espalhando novidades, diz-que-diz-que… […]